Total de visualizações de página

domingo, 16 de outubro de 2011

A que pois comparareis os homens da presente geração?

Lucas 7:31

O mundo está um caos. Correria, trabalho, família, filhos, escola, ônibus, trânsito. Loucura, preocupação. Contas a pagar, inflação, recessão, crise econômica. Diante de toda essa balbúrdia a que se transformou a vida, vem a pergunta: será que ainda temos tempo e/ou vontade de adorar?
O que é adorar?
Em hebraico, significa ajoelhar-se, dobrar-se diante do Senhor.
Em grego, significa aproximar-se dele e beijar a Sua mão.
Eis o questionamento. Ajoelhar-se, dobrar-se, aproximar-se, beijar são ações que envolvem a necessidade de uma atitude extrema, de uma medida fora do convencional. É necessária uma ação. Uma adoração!
Jesus estava preocupado com a extrema religiosidade da época. A maior preocupação com a ostentação do que com a simplicidade.
• A adoração exige amor extremo, excessivo, fazendo com que a pessoa, seja levada a prestar culto a uma divindade. Geralmente se refere a atos específicos de devoção ou honra religiosos, tipicamente direcionados a um ser sobrenatural, podendo ser um deus ou uma divindade.
Wikkipédia
Amor extremo, excessivo à Deus ou à religião? À Deus ou aos equipamentos tecnológicos? À Deus ou ao dinheiro?
Cantores que cobram fortunas para levar o povo à adoração. Músicas sem inspiração ou muito mal inspiradas. Antropocentrismos nas letras, onde a vitória tem que ter sabor de mel, excluindo os diabéticos da possibilidade de vencer.
Onde está a essência da adoração? Será que estamos tão insensíveis a isso?
Jesus falou dessa insensibilidade. Tocamos flauta, mas não dançastes; entoamos lamentações e não chorastes. Por que apenas ouvimos e não participamos? Por que apenas tocam flautas e não adoram? É inaceitável a possibilidade de ter uma vida de adoração sem entrega. É inaceitável a idéia de adorar a Deus apenas de lábios ou simplesmente como um hobby ou algo que provoque um “relax”.
Jesus falava a respeito da insensibilidade farisaica, quando recebera um convite para jantar com um deles. Um convite despretensioso, de início. Contudo, o jantar reservaria fortes e incisivas lições de adoração.
O mestre toma lugar à mesa. Interessante lembrar que Jesus estava na casa de Simão, o leproso. Antes de Jesus, ninguém entraria lá. Jesus o curara e logo houve um jantar para comemoração. Muitos estavam presentes na festa. Contudo uma mulher ensinou a todos a verdadeira adoração.
1. Não importa quem você é ou foi. Adore! A mulher era pecadora. Seu passado era podre. Ela não era bem-vinda no lugar. As pessoas a olhavam com olhos reprovadores e acusadores. Às vezes, nos prendemos nos mais variados estereótipos. Condenamos pela aparência, pelos cortes de cabelo, pelas roupas e adereços, quando percebemos que nem a conduta pregressa é importante. Deus quer adoração.
2. Traga sempre um presente. Adore! Os reis magos trouxeram presentes do oriente. Especiarias. Ouro, incenso, mirra. Eram presentes especiais para alguém especial. Era um presente caro, um frasco de ungüento valia até 300 denários, onde cada denário era o salário referente a um dia de trabalho de um lavrador. Adore também com suas ofertas. Não seja um adorador do dinheiro.
3. Se quiser, pode chorar! Adore! Não de forma fingida ou forçada. A melhor maneira de se arrepender é com adoração. O pecado afasta o homem de Deus. A adoração é um elo de reaproximação através do sangue de Jesus onde restabelecemos as alianças quebradas.
4. Não se importe com o que vão pensar. Adore! Aquela mulher tirou o véu e enxugou os pés de Jesus com os cabelos. Ela abriu mão das tradições e regras de conduta que diziam que era desonroso para mulher estar sem o véu e que apenas as meretrizes ficavam sem véu. Ela adorou reconhecendo quem ela era. Sem farsas, nem máscaras. Ela estava nos ensinando a autenticidade da adoração.

Adorar é isso. É ação. È adoração!
• Ajoelhar-se, reconhecendo que Ele é Rei. Quando vamos parar de achar que somos donos do nosso nariz? Ele é Rei, somos servos! Até os príncipes se ajoelham diante de seu Rei.
• Dobrar-se, tornar-se suscetível a mudanças, mas não muito. Rigidez provoca quebra. Resistência provoca mudança de forma sem quebrar. Meu jeito de adorar a Deus é esse e pronto! É rigidez. Eu respeito as formas de adoração e estou ao teu dispor, Senhor. É resistência.
• Aproximar-se, buscando sua presença. Esteja perto. Não se afaste de Deus. Aproxime-se em adoração.
• Beijar sua mão, como um filho que pede as bênçãos do Pai. Pedimos que Ele nos abençoe. Busque em primeiro lugar o Reino de Deus e as demais coisas vos serão acrescentadas.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Foi Deus!

Foi Deus
Que deu voz ao vento
Luz ao firmamento
E deu o azul às ondas do mar foi Deus
Que me pôs no peito
Um rosário de penas
Que vou desfiando
E choro a cantar
Fez poeta o rouxinol
Pôs no campo o alecrim
Deu as flores à primavera
Ai!, e deu-me esta voz a mim.

Amália Rodrigues

domingo, 9 de outubro de 2011

O Legado de Steve Jobs



Este texto foi extraído de uma campanha da Apple em 1997. Excelente crônica, uma homenagem aos loucos que com suas loucuras mudaram o mundo. Deus abençoe a saudável loucura de todos nós.

Vai com Deus, Steve Jobs.



Essa é uma homenagem aos loucos. Aos desajustados. Aos rebeldes. Aos criadores de caso. Às peças redondas nos buracos quadrados. Aos que vêem as coisas de forma diferente. Eles não gostam de regras. E eles não têm nenhum respeito pelo status quo. Você pode citá-los, discordar deles, glorificá-los ou difamá-los. Mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas. Eles impulsionam a raça humana. Enquanto alguns os vêem como loucos, nós reconhecemos o seu brilho. Porque as pessoas que são loucas ao ponto de pensar que podem mudar o mundo, são as que de fato, o mudam.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Derrubando muralhas


Josué atravessa o Rio Jordão com o povo de Israel. Que vitória! Que maravilha! Todos caminhando por dentro do rio, sem molhar os pés e nem muito menos se afogar. Não foi preciso nadar. Apenas caminhar. Caminhar para o outro lado. Fácil, fácil.
Entretanto, do outro lado do rio havia um novo desafio. Uma nova batalha surgia. Após uma vitória, um novo combate. Uma guerra era iminente.
Nossa vida é assim. A cada dia, um leão precisa ser morto. A cada nascer do sol, ressurgem velhos problemas e novas atitudes se fazem necessárias. A batalha agora é contra Jericó. E não seria simples como passar por um rio. Havia uma muralha. Antes da guerra propriamente dita, uma muralha precisava ser derrubada.
Alguns muros nós mesmos criamos. Nos fechamos para o mundo, em prisões internas. Passamos a nos esconder de nós mesmos, sem forças para fugir. Fugir pra onde, se os muros nos cercam? Outras muralhas são construídas pelo próprio Deus. E não fora o Senhor quem endureceu o coração de Faraó? Por que Deus ergue esse muros? Há algo a aprender com isso. Certamente, há um ensinamento.
Contudo, a muralha em questão era do inimigo. Uma muralha de pedras separava o povo do grande confronto. Um muro existente para provocar desistências. Chegar, ver o muro e voltar. Por que não desistir? É mais simples, menos complicado. Apenas dar meia-volta. E voltar. Essa era a intenção.
Josué não retrocedeu. Deus tinha um plano. Ele sempre tem. Deus entregou uma estratégia. Josué precisava ouvi-lo. O Deus que abre mar e rios pode derrubar muralhas. Todavia, o plano não estava pautado na força física. Era uma estratégia divina. Treze voltas. O povo marchava unido. O plano estava fundamentado na unidade. Eis o segredo de tudo. O segredo da queda dos muros estava na união.
A unidade é essencial. Marchar juntos. Tocar trombetas juntos. Gritar juntos. Para derrubar as muralhas que separam as famílias, pais de filhos, maridos de esposas, é preciso união. A família tem que marchar junto. A igreja tem que marchar junto.
Para concluir, há um momento certo de gritar. Enquanto não chegar o momento certo, apenas marche! No tempo certo, na hora certa. Vamos esperar?

Só e somente só pela graça,

João Victor

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

2º Módulo do Curso de Implantodontia concluído!!




Após aulas magníficas de Emergências Médicas e Exames Complementares, aprendemos a confecção de guias cirúrgicos!

Obrigado Dr. Gilmar e toda a turma do ICEO!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

MAIS DE 10.000 ACESSOS...OBRIGADO

ATINGI A INCRÍVEL MARCA DE MAIS DE 10000 ACESSOS NO MEU BLOG!!!!

MUITO OBRIGADO A TODOS QUE ME ACOMPANHAM NESSE ESPAÇO.


DEUS ABENÇOE A TODOS!

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

De que maneira manterá o jovem puro o seu caminho?


Vivemos um grande desafio. Diante de um mundo tão repleto de opções, tantos manjares do Rei à espera de bocas famintas, precisamos lutar bravamente para manter uma juventude saudável. Quando digo saudável, digo em várias instâncias. Biologicamente, socialmente e principalmente espiritualmente, entre outras.

Biologicamente, mantê-los livres das dependências químicas, álcool, drogas, sexo promíscuo, auto-destruição. Quantas meninas tem seus sonhos desmoronados por ua gravidez indesejada ou uma DST adquirida em noites animadas e divertidas. Socialmente, temos a tarefa de instruir para que esses jovens se tornem cidadãos de respeito, de caráter, bons filhos, dedicados estudantes e profissionais de valor. Espiritualmente, estimulando à busca do conhecimento bíblico, o entendimento de sua missão na terra, teremos formado alicerces para a formação de uma espiritualidade sadia, respeitando as diferenças de opinião e de posturas religiosas.

Contudo, de que maneira isso é possível? Como manter puro o caminho?

1. Buscando de coração. Não apenas por obrigação. Tudo que desejamos na vida deve ser alcançado com esforço e dedicação. O sangue precisa ser doado por aquilo que queremos. O coração deve funcionar, deve bater com vontade. É necessário entrega. Enquanto existir um coração pulsando, seus propósitos ainda serão possíveis. Se o objetivo é ser puro, eis a primeira dica. Busque de coração!

2. Aprendendo sempre. Ouvimos muito expressões adolescentes como "eu sei", "eu posso", "eu decido meu futuro". Ás vezes, esquecemos que temos muito a aprender. Decepções vão acontecer. Relacionamentos chegarão ao fim. Empregos se vão. Aprenda a vencer e a perder. Se for momento de chorar, chore. Se for para sorrir, dê boas gargalhadas. Aprenda a viver. Aprenda a se manter puro. Charles Chaplin já dizia: "A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.

3. Entendendo que a sua vida vale mais do que as suas palavras. Quer ser homem de Deus? Seja homem e você será de Deus. Seja humano. Permita-se errar. Assuma as consequencias dos seus erros. Seja autêntico. Seja você. Quando a gente faz, fala muito mais do que só falar. Seja puro.

O que é ser puro? Vamos para a química. A pureza está na ausência de misturas. Um só tipo de molécula. É a água que é só água. É o ferro que é só ferro. É a gente que é só gente. Seja puro. Seja você. Seja o José que continuou sonhando. Seja o Daniel que gostava mesmo de legumes. Seja um Ananias, um Misael, um Azarias, que mesmo que os outros se curvem, eles ficam de pé. Seja você mesmo! Seja puro assim. Que tal uma criança? Bom exemplo.
"Eu fico com a pureza e a resposta das crianças".
Gonzaguinha

Só pela graça,

João Victor

domingo, 11 de setembro de 2011

CONGRESSO DE JOVENS - CONJUNTO CEARÁ

ONTEM ESTIVEMOS NA VALE DE BENÇÃO DO CONJUNTO CEARÁ!!!
FOI UM CULTO MARAVILHOSO, BENÇÃO PURA!
DEUS ABENÇOE AQUELA IGREJA LINDA, DE UM POVO LINDO...OBRIGADO A TODOS PELA RECEPÇÃO!
ABRAÇOS PARA O PR. LEONAM E ESPOSA!!!!

PAZ!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

ESPECIALIZAÇÃO EM IMPLANTODONTIA




Durante meu curto período de férias eclesiásticas, iniciei um Curso de Especialização em Implantodontia no ICEO. O curso tem duração de 30 meses e tem como coordenador um dos ícones da Implantodontia no Brasil, Dr. Gilmar Poli.
Estou feliz em rever amigos antigos, fazer novos e, principalmente, em crescer profissonalmente. Sempre recomendo, nesse nosso espaço, a que todos busquem melhorar. Nunca achem que atingiram a excelência. Ainda há muito a ser aperfeiçoado.
Em outras oportunidades, falarei mais sobre o que é a Implantodontia, suas indicações e suas novas tecnologias.

Grande abraço a todos que me acompanham.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Dúvidas Pilatianas



Por Pr. João Victor

Nunca tive dificuldade em fazer escolhas. Não que as decisões que tenho que tomar não sejam importantes. Muito pelo contrário. Todos os dias me vejo decidindo, quer seja a respeito de assuntos eclesiásticos, familiares, odontológicos, bem como assuntos essencialmente pessoais. Contudo, minhas escolhas são rápidas e objetivas. Pode ser até um defeito, mas sou um homem de fácil adaptação, tanto para o que me incomoda, quanto para o que não me causa nenhum efeito considerável.
Enfim, não é o caso da maioria. Não era o caso de Pilatos. O governador romano era cheio de dúvidas. Repleto de perguntas. Na verdade, os questionamentos de Pilatos são puramente humanos, perfeitamente nossos. São perguntas que fazemos sempre. Analisemos essas questões.

Na biografia de Jesus Cristo mediante a avaliação de João, no seu capítulo 18 e versículo 28 ao 38, percebemos várias dúvidas, que vou ter a atenção de chamar de pilatianas, para jogar a responsabilidade sobre um "pecador" (oh, quão perfeitos somos, não é?).

Caifás e seus comparsas levam Jesus ao Pretório. Todavia não entram. Eles poderiam se contaminar (oh quão puros somos, não é?). Afinal de contas, a Páscoa se aproximava. Os líderes religiosos da época se dispunham a matar a mensagem de Jesus, mas não admitiam entrar em um lugar impuro. Será que não temos feito o mesmo? Será que não matamos a essência do evangelho? Eles eram muito santos. Não vou tocar nesse assunto...Talvez depois.

Pilatos fez algumas perguntas. Vamos aprender com elas.
1. Que acusação trazeis contra este homem? Que acusação trazemos contra Jesus? Por que o culpamos de tudo? Por que se o carro quebra a culpa tem que ser de Deus? POr que se o filho adoece, reclamamos e dizemos que não aceitamos, que somos filhos de Deus, que isso não pode acontecer, e bla blá blá? Trazemos inúmeras acusações contra Ele. E Ele é o menos culpado de tudo. Se colhemos, colhemos o que plantamos. Lei da semeadura. Bactérias não podem ser demonizadas nem Jesus pode ser responsabilizado pela ausência de manutenção nos veículos dos "santos".
Acusar Jesus de quê?
É triste ver que nossa sociedade e, pasmem, nossas igrejas estão repletas de acusadores. Que provas Caifás tinha contra Jesus? Provas verbais. Disse-me-disses. Pilatos estava corretíssimo. Era necessária uma acusação.

2. És tu o rei dos judeus? Ah! Agora Pilatos começa a se preocupar. Ora, um governador é submisso ao seu rei. Surge a possibilidade de concorrência na mente. Pilatos deixaria de ser "a pessoa com quem se resolve as coisas" dos judeus. A autoridade política de Pilatos corre perigo. Daí a preocupação.
Jesus, és tu o rei?
É comum ver pessoas agindo da mesma forma quando estão diante de pseudo-ameaças. Quem é esse funcionário novo? Será que ele vai roubar o meu lugar no louvor? A mensagem desse obreiro arrancou mais glórias do que a minha. Será que o povo vai gostar mais dele? Será que essa igreja que abriram aqui perto vai roubar minhas ovelhas? Que pensamento estúpido! Jesus é Rei. Você é você. Não aumente seus esforços para parecer melhor aos olhos de seus "adversários", mas eleve sua qualidade por você mesmo.

Outro aspecto importante dessa pergunta é que, quando a ameaça chega, refazemos a mesma pergunta sucessivamente (por mais exagerado que seja meu pleonasmo). Esquecemos que Jesus é Rei. Perguntamos como João Batista, a Voz que clamava no deserto, em meio ao desepero e à ameaça, se existe ainda um outro rei. O Grande Rei nos serve quando somos súditos prósperos. Quando a crise aperta, o primeiro a ser crucificado é o rei. Quão submissos somos, não é?

Jesus responde a Pilatos com outra pergunta: "vem de ti mesmo esta pergunta ou disseram outros a meu respeito? Puxa vida, Pilatos! Nem opinião própria você tem? Pare de ser influenciável. Seja você mesmo.
Tudo bem, está perdoado. Pilatos não era judeu. Não conhecia Jesus. Realmente, precisava ouvir uma outra versão da história, o outro lado da moeda. Pilatos precisava saber a verdade. Daí surge a derradeira pergunta:

3. Que é a verdade? Pergunta errada. Os budistas tem a sua verdade. Os xantoístas, hindus, católicos, protestantes, espíritas, TJ's, adventistas também. Os islãmicos encontram verdade em amarrar bombas no corpo e se explodir. Os judeus são tão cheios de verdades que parecem ser realmente verdadeiros. E são. Verdadeiros nas suas verdades. A pergunta foi mal formulada. Pilatos deveria ter perguntado QUEM É A VERDADE. A VERDADE ESTAVA DIANTE DE PILATOS. A verdade que apaga todas as dúvidas, humanas e pilatianas. JESUS. ELE É A VERDADE!

Acho que isso basta por hoje. Antes que alguém apareça defendendo a sua verdade, encerro. Estou feliz com a minha. E não tenho dúvidas em relação a isso. Lavo as mãos por higiene, não por covardia, nem muito menos por duvidar. EU CREIO. VOCÊ CRÊ, PILATOS?

Só pela graça,

João Victor

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Primeiro Amor


João Victor
Banda Contemplar

Tenho andado tão sozinho ultimamente
Que não tenho reparado o que se passa ao meu redor
Toda noite os mesmos sonhos se repetem novamente
Novamente os meus sonhos vão caindo pelo chão

E na tentativa de lembrar o que passou
Lembro que antes eu era mais feliz
Aquela chama que ardia o tempo apagou
Antes eu tinha a vida que eu sempre quis

Quero voltar, quero recomeçar
Me encontrar com o meu primeiro amor
Confesso que não posso mais viver
Sem a tua presença, Senhor

Lembro de como era doce ouvir sua voz
E das minhas lágrimas molhando os teus pés
Hoje vejo o quanto errei em não reconhecer
Que a vida é bem melhor com o teu controle sobre nós

E na esperança de obter o teu perdão
Venho humildemente a ti me entregar
Aquela chama que ardia, quero reacender
Minha aliança quero restaurar.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Somos humanos!


Evangelho de João, capítulo 1
19 E este é o testemunho de João, quando os judeus mandaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: Quem és tu?
20 E confessou, e não negou; confessou: Eu não sou o Cristo.
21 E perguntaram-lhe: Então quê? És tu Elias? E disse: Não sou. És tu profeta? E respondeu: Não.
22 Disseram-lhe pois: Quem és? para que demos resposta àqueles que nos enviaram; que dizes de ti mesmo?

Muitos vivem em função da opinião dos outros a seu respeito. Dependem de elogios, aplausos, querem ser vistos como espelhos, exemplos. Buscam desesperadamente um lugar ao sol, o palco, microfones e status ministerial. Para isso, é importante, para esses candidatos à fama, o que as pessoas dizem sobre eles.

A responsabilidade é tão grande que muitos lançam sobre os ombros de meros mortais a aterradora idéia de que precisam ser semi-deuses. Super-santos, inerráveis, bocas de Deus na terra, vasos de honra, inquestionáveis, perfeitos. Não importa do que venham lhe chamar. O importante é que o chamem de algo bom.

Cria-se em nosso meio (quando digo nosso, falo do meio evangélico) uma idéia tão errônea de santidade que chega a provocar náuseas. É muita pressão. Presenciei durante anos, jovens, em tenra idade, sendo praticamente "obrigados" a casar por causa de uma relação sexual "ilícita" ou em virtude de uma gravidez não planejada. Muitos desses jovens não tem estrutura alguma para enveredar pelas trilhas do matrimonio. Crianças que, por conveniências religiosas (ou para não se abrasar), veem-se diante de uma situação constrangedora (disciplinas e humilhações) e se casam, saltando várias etapas da vida.

A hipocrisia é tanta que muitos esquecem que somos humanos. Estamos sujeitos a paixões, crises, dores, angústias. A necessidade de mostrar à sociedade evangélica uma conduta inatacável é cruel. Não podemos ser humanos? Não podemos errar? Que espécie de evangelho estamos pregando? O que apedreja? O que julga? O que queima?
Aceitar as falhas é quase impossível num mundo tão perfeito. Homens, quer pastores, líderes ou membros, continuam homens.

Deus não está com um chicote na mão para nos punir. A sociedade sim. E dói. Dói saber que o homem que recebe perdão divino não é digno do perdão humano. Dói saber que nossas falhas serão sempre lembradas e todas nossas virtudes serão esquecidas.
Dói. Dói muito. E dói mais porque fazemos parte disso. Somos acusadores e acusados. Somos quem bate e quem apanha. Estamos no olho do furacão. Ou mudamos nosso modo de enxergar a vida ou passaremos a vida inteira tentando ser o que não somos.

João Batista não queria ser Cristo (embora muitos se achem numa cruz). Ele não queria ser Elias (embora muitos afirmam ter poder para descer fogo do céu e consumir os ímpios). João não queria ser reconhecido como profeta (embora seja uma alcunha almejada por muitos). João queria ser reconhecido como uma voz. Um voz que clama num deserto. Uma voz humana. NÃO SOMOS SERES ESPECIAIS. SOMOS HUMANOS! E ISSO BASTA!

Só pela graça,

João Victor

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Sessão Polêmica

Será que essa música poderia fazer parte do Livro de Cântico dos Cânticos de Salomão?



Ou será que o amor é tão diabólico assim?

Opinem...

Só joguei o assunto no ar.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Lições de vida!



Conta-se que numa manhã de domingo duas conversavam animadamente quando uma comentou com a outra:

- Sabe qual é o nosso problema? Nós não voamos, só sabemos saltar. Daí nossa chance de sobrevivência, quando somos percebidas pelo cachorro, é zero. É por isso que existem muito mais moscas do que pulgas.

E elas contrataram uma mosca como consultora, entraram num programa de reengenharia de vôo e saíram voando. Passado algum tempo, a primeira pulga falou para a outra:

- Quer saber? Voar não é o suficiente, porque ficamos grudadas ao corpo do cachorro e nosso tempo de reação é bem menor do que a velocidade da coçada dele. Temos de aprender a fazer como as abelhas, que sugam o néctar e levantam vôo rapidamente.

E elas contrataram o serviço de consultoria de uma abelha, que lhes ensinou a técnica do chega-suga-voa. Funcionou, mas não resolveu. A primeira pulga explicou por quê:

- Nossa bolsa para armazenar sangue é pequena, por isso temos de ficar muito tempo sugando. Escapar, a gente até escapa, mas não estamos nos alimentando direito. Temos de aprender como os pernilongos fazem para se alimentar com aquela rapidez.

E um pernilongo lhes prestou uma consultoria para incrementar o tamanho do abdômen. Resolvido, mas por poucos minutos. Como tinham ficado maiores, a aproximação delas era facilmente percebida pelo cachorro, e elas eram espantadas antes mesmo de pousar. Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha:

- Ué, vocês estão enormes! Fizeram plástica?

- Não, reengenharia. Agora somos pulgas adaptadas aos desafios do século XXI. Voamos, picamos e podemos armazenar mais alimento.

- E por que é que estão com cara de famintas?

- Isso é temporário. Já estamos fazendo consultoria com um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar. E você?

- Ah, eu vou bem, obrigada. Forte e sadia.

Era verdade. A pulguinha estava viçosa e bem alimentada. Mas as pulgonas não quiseram dar a pata a torcer:

- Mas você não está preocupada com o futuro? Não pensou em uma reengenharia?

- Quem disse que não? Pensei, sim! E fui conversar com a minha avó, que tinha a resposta na ponta da língua.

- E o quê ela disse?

- Não mude nada. Apenas sente no cocuruto do cachorro. É o único lugar que a pata dele não alcança.

Pois é cara pálida, para bom entendedor meia palavra basta, não é verdade?

quarta-feira, 27 de julho de 2011

A UNÇÃO DE ACHAR!!!! NÃO PERCA!

A CADA DIA SURGEM NOVIDADES...COMENTEM SOBRE ESSA "NOVIDADE" TEOLÓGICA!!!

domingo, 24 de julho de 2011

SESSÃO SAÚDE - MAL DE PARKINSON


Michael J. Fox (portador do Mal de Parkinson)


O mal de Parkinson, também chamada de doença de Parkinson, ou simplesmente Parkinson, é uma doença do sistema nervoso central que afeta a capacidade do cérebro de controlar nossos movimentos. O mal de Parkinson recebe esse nome em homenagem ao Dr. James Parkinson, o primeiro médico a descrever a doença.

Mal de Parkinson : introdução

O nosso cérebro não é responsável apenas pelos nossos pensamentos e raciocínios; todo movimento que fazemos, desde um simples piscar de olhos até o ato de andar, nasce de uma ordem vinda do sistema nervoso central, que através de neurotransmissores chega ao seu destino final, os músculos.

Um grupo de células cerebrais, chamado de neurônios dopaminérgicos, são responsáveis pela produção de dopamina, um neurotransmissor que age no controle dos movimentos finos e coordenados. Alguns atividades do nosso dia-a-dia são tão triviais que nunca paramos para pensar na sua complexidade. O ato de beber um copo d'água, por exemplo, requer um grande controle dos nossos músculos, não só para levar o braço até o copo, mas também para agarrá-lo de modo estável, levá-lo até a boca e virá-lo apenas o suficiente para que uma quantidade x do líquido chegue a nossa boca. Isso são chamados de movimentos finos, muito dependentes da ação dos neurônios dopaminégicos. O mal de Parkinson se caracteriza pela destruição destes neurônios, levando a uma escassez de dopamina no sistema nervoso central e, consequentemente, a um distúrbio dos movimentos.

Fatores de risco para o mal de Parkinson

Os sintomas da doença de Parkinson só surgem quando cerca de 80% dos neurônios encontram-se destruídos. O porquê desta destruição ainda é desconhecido, o que faz com que o mal de Parkinson seja considerada uma doença idiopática, ou seja, sem causa definida. Entretanto, alguns fatores de risco já foram identificados:

- Idade: a doença de Parkinson é um enfermidade tipicamente de pessoas idosas, iniciando-se normalmente ao redor dos 60 anos de idade. É raro encontrar pacientes com mal de Parkinson antes dos 40 anos.
- História familiar: familiares de pacientes com Parkinson têm maior risco de desenvolver a doença
- Sexo Masculino: o mal de Parkinson é mais comum em homens que em mulheres
- Traumas no crânio: isolados ou repetitivos, como nos lutadores de boxe, podem lesar os neurônios dopaminérgicos.
- Contato com agrotóxicos: certas substâncias químicas podem causar lesões neurológicas que levam ao Parkinson.

Sintomas do mal de Parkinson

Os sinais e sintomas do mal de Parkinson podem ser divididos em 2 categorias: motores e não-motores

1.) Sintomas motores do mal de Parkinson

Sintomas mal de Parkinson- Tremores: ocorrem principalmente quando o paciente encontra-se em repouso e melhora quando se movimenta o membro. Esta é uma característica que distingue o tremor da doença de Parkinson dos tremores que ocorrem por outras causas.

Em fases inicias da doença, o tremor é intermitente e costuma passar despercebido pelos familiares e amigos. O paciente pode referir uma sensação de "tremor interno", como se algum dos membros estivesse tremendo, quando na verdade, o tremor não é perceptível para outros. Os tremores perceptíveis costumam começar em uma das mãos, normalmente com movimentos entre o dedo indicador e o polegar, como se estivesse a contar dinheiro. Com o passar dos anos a doença avança e os tremores se tornam mais generalizados, alcançando outros membros.

O tremor em repouso é o sintoma inicial do mal de Parkinson em 70% dos casos. Com o evoluir da doença, praticamente todos os pacientes apresentarão algum grau de tremor. São poucos os casos de Parkinson que não causam tremores.

Como o tremor da doença de Parkinson ocorre em repouso e melhora à movimentação, este acaba não sendo um sintoma muito incapacitante, ao contrário da bradicinesia.

- Bradicinesia: significa movimentos lentificados. A bradicinesia é o sintoma mais incapacitante do Parkinson. O paciente sente-se cansado, com intensa fraqueza muscular e sensação de incoordenação motora. Tarefas simples tornam-se muito difíceis, como abotoar uma camisa, digitar no computador, pegar moedas dentro do bolso ou amarrar os sapatos. O doente refere dificuldade para iniciar qualquer movimento voluntário. O paciente torna-se hesitante e descoordenado.

Com o tempo até andar vira uma tarefa difícil; os passos tornam-se curtos e lentos, o paciente apresenta dificuldade para se levantar e sente-se desequilibrado quando em pé.

- Rigidez: a rigidez dos músculos é outro sintoma importante do mal de Parkinson. Assim como o tremor e a bradicinesia, a rigidez inicia-se apenas de um lado, generalizando-se conforme a doença progride. A sensação que se tem é a de que os músculos estão presos, muitas vezes limitando a amplitude dos movimentos e causando dor. Um dos sinais típicos é a perda do balançar dos braços enquanto se anda.

- Instabilidade postural: nosso equilíbrio enquanto andamos ou permanecemos em pé depende do bom funcionamento do cérebro; é ele que controla nosso tônus e reflexos musculares que mantêm nosso centro de gravidade estável. A perda da estabilidade postural é um sintoma que só ocorre em fases avançadas da doença de Parkinson, manifestando-se principalmente com quedas regulares.

Outros sintomas comuns do mal de Parkinson:
- Perda expressão facial (expressão apática)
- Redução do piscar dos olhos
- Alterações no discurso
- Aumento da salivação
- Visão borrada
- Micrografia (caligrafia altera-se e as letras tornam-se pequenas)
- Incontinência urinária (leia: INCONTINÊNCIA URINÁRIA | Causas, tipos e diagnóstico)

2.) Sintomas não-motores do mal de Parkinson

Além de todas as alterações motoras, os pacientes com doença de Parkinson também podem desenvolver uma data de alterações neurológicas como demência, alterações do sono, depressão, ansiedade, memória fraca, alucinações, psicose (leia: O QUE É PSICOSE ?), perda do olfato, constipação intestinal, dificuldades para urinar, impotência sexual, raciocínio lentificado e apatia.

Diagnóstico do mal de Parkinson

Várias outras doenças neurológicas podem apresentar um quadro clínico semelhante ao mal de Parkinson, o que torna difícil a distinção, principalmente me fases inicias da doença.

O grande problema é que não existe um exame complementar, seja de sangue ou de imagem, que forneça o diagnóstico da doença de Parkinson. O médico baseia-se apenas na história clínica e no exame físico para fechar o diagnóstico, o que torna importante a experiência do especialista.

Em geral, para o diagnóstico é preciso identificar 2 dos 3 principais sintomas motores (tremor em repouso, bradicinesia ou rigidez), associado a uma melhora destes com o uso de medicamentos específicos para doença de Parkinson. Nem sempre o quadro clínico inicial é suficientemente claro para se estabelecer o diagnóstico.

Tratamento do mal de Parkinson

Não há cura para o mal de Parkinson, porém, os tratamentos atuais são bastante efetivos no controle dos sintomas.

Uma das drogas mais usadas é a levodopa + carbidopa (Sinemet), que é transformada em dopamina dentro do cérebro. Várias outras drogas que simulam a ação da dopamina no cérebro podem ser usadas, entre elas: bromocriptina, pramipexol e ropinirol.

Alem do tratamento medicamentoso, a prática de exercícios regulares é importante para retardar os sintomas motores da doença.

Leia mais: http://www.mdsaude.com/2010/08/mal-parkinson.html#ixzz1T3nzJZUW

sábado, 16 de julho de 2011

E A FIGUEIRA MURCHOU...


Certo dia, Jesus ia andando com seus discípulos quando viu ao longe uma figueira. Linda, frondosa, a árvore chamou a atenção de Jesus. O Mestre se aproximou e viu que a bela árvore cheia de folhas não tinha nenhum fruto. Constatando isso, Jesus ordena que nunca mais nascesse frutos daquela árvore. E a figueira secou. Alguns pontos me chamaram a atenção nesse episódio.

A princípio, é importante dirimir algumas más interpretações desse texto. Jesus não destruiu a árvore por raiva, ira, ou revolta. Jesus não agiu por vingança, pelo fato da figueira não saciar sua fome. Ele não amaldiçoou a planta por caprichos infantis. Jesus secou a figueira para encher corações. A figueira foi destruída para que os discípulos pudessem ser construídos.

Outro fato para o qual precisamos estar atentos é que a árvore citada estava repleta de folhas, mas era infrutífera. Se analisarmos o ciclo de desenvolvimento da figueira, veremos que Ficus carica tem como característica o fato dos frutos nascerem antes das folhas. Contudo, a figueira citada tinha folhas, mas não tinha frutos. Estranho, mas parece que há seres humanos nessa terra que agem de maneira semelhante. Demonstram ser o que não são. São cheios de folhas e todos acreditam que podem se alimentar deles. Entretanto, quando se chega bem perto, percebemos que não passam de engano. Meras folhas, sem frutos. Mero engano. E a fome continua.

Não era tempo de figos. Mas as folhas diziam que eles lá estavam. Não podemos construir casas sem alicerces. Não podemos queimar etapas na vida. Devemos deixar o fluxo da natureza agir. Primeiro os frutos, depois as folhas. Há pessoas que querem desesperadamente cargos eclesiásticos elevados sem nunca ter passado nem pela experiência da verdadeira conversão. Não aprenderam a ser servos e já querem ser servidos? Assim não dá!

Jesus se aproxima. Podemos esconder nossa vida infrutífera com folhas de "caras-de-pau" enquanto o Mestre está longe. Contudo, Ele se aproxima. O que temos para lhe oferecer? Templos belos? Requinte? Paletós e gravatas? O poder avassalador dos microfones e holofotes? ELE NÃO QUER! JESUS QUER FRUTOS! E é perigosa essa aproximação.

A figueira recebeu um decreto! NUNCA MAIS NASÇA FRUTO DE TI. Ou seja, permaneça como você está! E a figueira murchou. Isso nos serve de alerta. Ou passamos a viver o evangelho genuíno, onde as obras evidenciam o poder da graça na nossa vida, onde as desavenças são substituídas pela unidade, onde o apelo midiático é trocado pelas boas ações anônimáticas, ou então permanecemos como estamos. O resultado dessa estagnação é terrível. Vamos murchar como igreja. Vamos secar. Vamos morrer.

Chega de propagandas enganosas! Chega de falatórios ou falácias sem atitudes concretas. Jesus vai inspecionar as figueiras. Ele está à procura de frutos. Mudemos, antes que o Mestre nos aborde. Mudemos, enquanto é tempo!


Só pela graça,

Pr. João Victor

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Reflexão dos trinta



Epitáfio
Titãs

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais e até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer

Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos com problemas pequenos
Ter morrido de amor

Queria ter aceitado a vida como ela é
A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído?
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr.

http://www.vagalume.com.br/titas/epitafio.html#ixzz1RnvjxxMJ

terça-feira, 5 de julho de 2011

8 MIL ACESSOS!!!! OBRIGADO

MAIS DE 8 MIL ACESSOS! QUE BOM QUE AS PESSOAS TEM GOSTADO DESSE ESPAÇO!

OBRIGADO!!!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

FRASE DA SEMANA




" O SOFRIMENTO É PASSAGEIRO. DESISTIR É PRA SEMPRE".
Lance Armstrong

terça-feira, 28 de junho de 2011

Hoje, minha luta

Por João Victor


Hoje
Me preparo pra aterrisar no front da batalha
Verifico a mochila, não falta nenhuma arma
A munição está checada, tudo pronto!
Tudo pronto

Hoje
Me esqueço de tudo aquilo que me prejudica
Estou focado na guerra, preparado para a briga
A mira está calibrada, tudo pronto!
Tudo pronto!

Há uma luta travada dentro de mim
Há uma estratégia armada para o meu fim
Mas luto com as armas espirituais
Sem trégua, eu não vou desistir jamais

Vou vencer eu sei
Vou vencer eu sei
Destruindo os fantasmas do passado
Derrotando os vilões do presente
Enxergando um futuro de paz
Eu não vou desistir jamais

domingo, 26 de junho de 2011

Duas mulheres, um Rei.


1 Reis 3.16-28

O nosso senso de justiça é muito pessoal. Geralmente, enxergamos as falhas nas outras pessoas, atacamos para nos defender, batemos para não apanhar. A legítima defesa nem sempre é tão legítima. Muitas vezes, nem mesmo como defesa podemos considerá-la. Duas mulheres chegam diante de Salomão. Duas histórias diferentes sobre o mesmo assunto. Duas versões. Quem está certo? Quem tem razão? Como descobrir a verdade? Onde está a verdade? Salomão pediu sabedoria. Precisamos dela.
A princípio, algumas questões devem ser levantadas. Primeiro sobre as mulheres envolvidas no caso. Não tinham uma visita muito santa. Não eram mulheres consagradas. Não vinham de famílias tradicionais do reino. Entretanto, tinham condição de falar com o Rei.
1. Não importa a tua situação hoje. O Rei está disposto a te ouvir. Talvez você não tenha amigos para compartilhar suas aflições, nem teus pais te escutam. Talvez você não se sinta digno de estar na presença Dele, mas o Rei vai te ouvir. Ele quer ouvir a tua história, mesmo que Ele já saiba. Ele faz questão de entrar contigo no problema, seja qual for.
Em segundo lugar, as duas eram amigas. Moravam juntas, dividiam um mesmo espaço. Se não eram muito apegadas, mas conseguiam conviver, quem sabe até harmoniosamente. As duas deram à luz na mesma época. Três dias de diferença, apenas. Compartilharam as dificuldades gestacionais. Passaram por lutas, enjôos, mal-estar, dores de parto. Estavam juntas. Alegraram-se com seus filhos. Contudo, houve um acidente. Aconteceu algo inesperado que fez desmoronar tudo que elas haviam construído juntas.
2. Não permita que acontecimentos isolados ou inesperados destruam tudo que você construiu. Conserte as rachaduras. Troque as telhas. Tranque as portas. Sua casa não pode desmoronar. Não permita que o inimigo acabe com a tua família, com a tua vida. Ainda há como evitar tragédias.
Em terceiro lugar, o descuido durante o sono provocou a morte de um filho. Aquilo que a mulher esperou por 9 meses, o projeto que estava crescendo dentro dela, os planos que havia traçado para a vida se foram por causa de um descuido. Enquanto dormia, provocou a morte da criança. Muitos matam seus sonhos por causa do sono. Dormem e não percebem o que estão fazendo. Rolam de um lado para outro, dormindo, caem, se machucam e matam seus filhos.
3. Desperte do sono. Seus planos correm perigo e, principalmente, os planos de Deus a seu respeito. Proteja seus filhos. Não deixe o sono te derrubar da janela. Nem sempre será possível ressuscitar.
O acidente causado pelo sono que provocou a morte da criança fez aquela mulher cometer vários erros consecutivos. Aparece então inveja, a sensação de se achar inferior. O erro tinha que ser transferido. Quem errou foi ela, e não eu. O filho morto é o dela, e não o meu. A ruim é ela, e não eu. Quem tem que chorar é ela, não eu. Quem precisa se arrepender é ela, não eu. O sofrimento tem que ser dela, não meu.
Aquela mulher estava disposta a criar um filho que não era dela só para não reconhecer que errou. Quantas vezes pessoas agem assim? Usam-se da “esperteza”, da malandragem, da mentira, para não assumir suas falhas. Apenas por uma razão. Quem tem que vencer sou eu. Os fins justificam os meios. Chega de querer levar vantagem. Chega de nos acharmos donos da verdade, sendo que, bem lá no fundo, sabemos que estamos agindo errado. Chega de querer pisar nos outros, simplesmente porque estamos por cima. O mundo gira. Um dia, estamos por cima, mas no outro podemos estar por baixo.
A mulher cria uma mentira. Põe o filho morto nos braços da outra. Joga os problemas para a outra. O assunto chega ao Rei. Salomão ouve e faz uma proposta. Dividam o filho. Dividir o filho seria matar. Separar em das partes seria acabar com tudo. Meias verdades não são verdades. Em cima do muro, a possibilidade de cair é maior. Contudo era um blefe. A VERDADE aparece. De que forma?
1. A verdade está com quem ouve o que vem de dentro. A mulher que falava a verdade sentiu suas entranhas se estremecerem. É o choro da alma. É o clamor do Espírito Santo. Quem está com a razão? Sinta o Espírito Santo falando com você. Que atitude você tem que tomar hoje?
2. A verdade está com quem reconhece o Senhor como tal. Quando abrimos mão do nosso orgulho e nos lançamos aos pés do Rei, Ele age a nosso favor! E o nome do Rei é glorificado! Não devemos nos enxergar apenas como príncipes, mas como servos. Ele é Rei, mas também é Senhor.
3. A verdade está com quem é capaz de abrir mão. Jesus abriu mão do seu trono para estar ao seu lado. Não o mate. Disse a mulher. Ela pode ficar com ele. Eu quero que meu filho viva! Jesus morreu, para que você tivesse vida!

Só pela graça,

João Victor

domingo, 19 de junho de 2011

Dia da Igreja Perseguida

Momento de reflexão...

Ouçam essa bela canção da Banda Palavrantiga...O que temos feito?


quinta-feira, 16 de junho de 2011

Expulsos do Paraíso



Lembrei esta semana com um certo saudosismo da Igreja da década passada. Lembrei dos cultos onde pessoas eram carregadas pois não conseguiam se levantar devido ao poder de Deus. Os louvores, que produziam um êxtase espiritual, deixando a terra pronta para lançar a semente aos corações. Jovens, cuja preocupação era aprender a Palavra, buscar revestimento do Espírito Santo, evangelizar. Os estudos Bíblicos e todas as dúvidas dirimidas, a ansiedade pela próxima aula da Escola Dominical...tempos bons.

Contudo, hoje, vemos um povo diferente. A ansiedade está em ganhar dinheiro, prosperar, namorar, casar, ganhar dinheiro e depois ganhar mais dinheiro. A Bíblia, outrora tão desejada, passou a ser substituída por livros de auto-ajuda ou de ficção (Divinas revelações do céu, do inferno, do purgatório...e por aí vai). Dons espirituais passaram a ser movimentos, cultos de avivamento tornaram-se apenas encontros, louvores transformaram-se em mantras...e por aí vai. Será que foi a geração que mudou ou fomos nós, os que presenciaram o avivamento dos anos 90, que mudamos?

Confesso que muitas coisas nas quais eu acreditava não são mais verdades absolutas para mim. Quando nos dedicamos a estudar, a conhecer de maneira mais profunda o Senhor, deixamos pra trás alguns dogmas e tabus e nos apegamos a um relacionamento mais sólido e menos transcedental. Todavia, temo que alguns, talvez eu mesmo me inclua na lista, tenham perdido um pouco da essência...um pouco do paraíso.

Quando Deus fala para Adão não comer da Árvore do Conhecimento, Ele previa as consequências. Comer o fruto proibido significava ser expluso do Paraíso. Um paraíso onde não há pastores querendo se promover a todo custo ou semi-endeusando-se (perdoe-me o neologismo), onde não há traições ministeriais, nem brigas denominacionais. Um paraíso onde, quando adoramos ao Senhor, voltamos os nossos olhos apenas para Ele, e não para como alguém veste (salvo os absurdos), ou como os outros, digo a sociedade gospel, vão enxergar nossa entrega em adoração. Um paraíso onde pular na presença de Deus vinha acompanhado com lágrimas e não com o suor do extravasar carnal. Quando comemos o fruto, nos tornamos mais seletivos, porém menos disponíveis.

Não quero dizer que comer o fruto faz mal. Faz bem. Deus sabia que comeríamos. Não conseguiríamos não comer. Contudo, o conhecimento deveria ter o efeito oposto. Conhecer a Deus nos tornaria mais próximos a Ele. A intimidade demonstraria nossa pequenez e não nossa exaltação. A verdade liberta se for fundamentada em Cristo. Quando o que prevalece é a nossa verdade somos presos. Prisioneiros do nosso próprio mundo, não alcançamos o Reino. Não alcançando o Reino, aí sim, estamos fora, definitivamente, do Paraíso que Deus tanto nos quer ver habitantes.

domingo, 12 de junho de 2011

A MAIOR PROVA DE AMOR



Ele fez tudo isso por você...O que temos feito para Ele?

Fica a reflexão!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Hoje é o Dia do Pastor

CLARO...AÍ VAI UMA HOMENAGEM AO MEU PASTOR, AMIGO E MESTRE. PARABÉNS PR. DARCKSON LIRA!!!
NÃO PODIA ESQUECER DE HOMENAGEAR TB A MINHA PASTORA DAMARES LIRA! OBRIGADO POR VCS FAZEREM PARTE DA MINHA VIDA!


quarta-feira, 8 de junho de 2011

Quem ama, não esquece...Banda Contemplar



Letra e música: João Victor

Tentei te decorar
No brilho das estrelas
Eu tentei sonhar
Com teu rosto lindo, com o teu olhar
Me dizendo coisas que palavras não conseguem expressar
Um sentimento mais forte
Algo que vem de Deus
Nosso amor é eterno
Não vou te esquecer
Mesmo que estejas longe
O meu coração estará com você

Quem ama não esquece jamais
Quem ama sempre lembra
De quem está distante de nós
Quem ama sempre espera
Um dia vê-la retornar
Pra lhe dizer:
Eu ainda amo você

Quando você se sentir só
Saiba que o meu pensamento estará para sempre em você
Consequentemente, estaremos juntos
Mesmo por força da mente,
Inconscientemente
Apaixonadamente...

Você é a prova mais perfeita
De que Deus nunca quis que eu estivesse só
E apesar dos inúmeros quilômetros de distância que nos separam
Sei que ainda vou encontrar você
Eu nunca vou esquecer de você
Eu nunca vou esquecer de você

domingo, 5 de junho de 2011

30 ANOS DE AIDS. CASTIGO DE DEUS?



Hoje, dia 5 de junho de 2011, faz exatamente 30 anos do primeiro caso registrado de AIDS no mundo. O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids, Unaids, informou que o número de novas infecções caiu cerca de 25%, entre 2001 e 2009. O Unaids lançou um relatório em Genebra e Nova York, para marcar os 30 anos da epidemia. O primeiro caso de Aids foi notificado em 5 de junho de 1981. Segundo a agência, 34 milhões de pessoas vivem com o HIV e cerca de 30 milhões perderam a vida, desde o surgimento da doença.
Durante todo esse tempo, os evangélicos consideraram e até hoje vários segmentos consideram a AIDS como um castigo divino sobre o homem. Alguns afirmam categoricamente que o texto da carta de Paulo aos Romanos, no capítulo 1, versículo 27, usado também para combater o homossexualismo, é uma prova concreta de que Deus enviou a AIDS sobre a terra para "recompensar" o homem por toda a torpeza e perversão sexual.
Não quero e nem pretendo fazer julgamento de valores ou ser um arauto da hermenêutica ou da exegese bíblica (nem sei se estou usando os corretos termos teológicos). Contudo, acredito que a Igreja, em todo o seu contexto, precisa se preocupar com alguns assuntos terrenos, ou como costumo chamar, horizontais. Não se vê, com frequencia, campanhas de igrejas para combater a dengue, sobre higiene e saúde bucal ou geral, seminários sobre métodos anticoncepcionais ou outros assuntos bastante relevantes para a vida social.
Claro que para muitos, educar, instruir, orientar, seja apenas um papel das escolas e uma obrigação do governo. Contudo, não podemos de forma alguma querer tapar o sol com a peneira. É sabido que uma grande parte, pasmem, uma grande parte dos jovens evangélicos tem relações sexuais antes do casamento. É errado? Biblicamente sim. O sexo é uma dádiva divina abençoada dentro do matrimônio. Todavia, como vamos instruir esses adolescentes, com hormônios burbulhantes e bombardeados constantemente pela mídia, que joga a todos os momentos em suas mentes as maravilhas do sexo? Como dizer a esses mancebos, que perderam a inocência mais cedo que em tempos antigos, que é pecado, que não pode, que é proibido, se dessa forma as palavras podem soar mais tentadoras ainda?
Há alguns anos atrás, a Igreja Universal do Reino de Deus fez uma campanha de distribuição de preservativos na África do Sul, país com a maior incidência do vírus HIV no mundo. Após os cultos da chamada Terapia do Amor, jovens recebiam camisinhas, como forma de prevenção. Muitos acharam um absurdo, inclusive eu. Hoje me pergunto. Até que ponto a Igreja pode participar dessas campanhas? Como amenizar algo que já é pungente no meio da sociedade cristã? São 30 anos de sofrimentos para milhões e milhões de famílias, evangélicas e não evangélicas. Será que ainda vamos enxergar esses assuntos como tabus, enquanto olhamos para cima? Por que não ensinamos os nossos filhos o caminho que eles devem andar, de forma que não venham se desviar dele? Vamos protegê-los ou entregá-los aos castigos? Por favor, alguém mais capacitado do que eu, me responda. Não tenho ainda respostas para isso!

Preparado para as pedras,

João Victor

7 MIL ACESSOS




MARCA HISTÓRICA!!!!! 7 MIL ACESSOS
OBRIGADO A TODOS OS PAÍSES QUE NOS ACOMPANHAM NESTE ESPAÇO:
BRASIL
EUA
ALEMANHA
HOLANDA
UCRÂNIA
COSTA RICA
PORTUGAL
RÚSSIA
TURQUIA
AUSTRÁLIA
DINAMARCA
REINO UNIDO
ANGOLA
BOLÍVIA

OBRIGADO EM TODAS LÍNGUAS!!!!

sábado, 4 de junho de 2011

O que é a verdade?

Respeitamos a verdade quando não nos iludimos ou quando permitimos o confronto com nossas próprias crenças e percepções.

Amamos a verdade quando esprememos o espinho da rosa contra nosso próprio peito fazendo-o sangrar.

Vivemos a verdade quando aceitamos a dura realidade do que somos por mais cruel que nos possa parecer.

Propagamos a verdade quando permitimos que ela se expresse embora contrariando nosso modo de ver as coisas.


Pr. Darckson Lira

quinta-feira, 2 de junho de 2011

sábado, 28 de maio de 2011

A Carroça está voltando...



CEARÁ DERROTOU HOJE O INTERNACIONAL EM PLENO BEIRA-RIO POR 1 A 0. GOL DE IARLEY E FELICIDADE DA NAÇÃO ALVINEGRA!!!

A CARROÇA VOLTOOOOOOOOOOOOOOOU!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Andar como Jesus andou




Pe. Zezinho

Preciso dizer mais alguma coisa?

Só pela graça,

Pr. João Victor

terça-feira, 24 de maio de 2011

QUEM É O MELHOR?



Baseado em Eclesiastes, capítulo 9, versículos 1 ao 10.

Passamos a vida inteira nos achando melhores que os outros por sermos EVANGÉLICOS. Não por culpa nossa, mas em virtude do fato de sermos ensinados assim. Então, crescemos com a idéia de que somos "donos do céu", eleitos antes da fundação do mundo, predestinados, escolhidos, povo de Deus, enquanto que os outros mortais são meras "criaturas", sem usufruir dos benefícios restritos aos que dão glórias a Deus e aleluias.

Entretanto, mesmo entre nós, ainda há uns melhores que os outros. Os que não cortam cabelo são melhores porque não danificam o véu. Outros são superiores por usar um véu para cobrir os cabelos que os outros não cortam. Uns estão num patamar mais elevado por se vestirem como "devem", ou seja, sem nenhum tipo de modismos ou extravagância. Outros se acham melhores por poderem se vestirem como querem. Uns acham que são melhores porque são mais "avivados" e falam em outras línguas, não terrenas, mas angelicais e, devido a esse privilégio, estão acima dos que não acreditam nesses idiomas e no "fogo santo" ou nos "mistérios" ou nos "mantos". Quando há milagres, Deus está presente; logo, são melhores. Já as igrejas que não costumam presenciar curas e prodígios são superiores pelo seu tradicionalismo e conservadorismo, vangloriando-se de serem as igrejas da reforma.

Quem é melhor, afinal? O grande sábio Salomão, no texto supracitado, afirma que ninguém é melhor do que ninguém. Nem melhor, nem pior. O que precisamos fazer é sempre estar dispostos a melhorar. Melhorar como pai, como filho, como patrão, como funcionário, como amante (no bom sentido), como servo, como gente. O que fazer então?

1. Reconhecer que somos capazes. Apenas isso. O homem é capaz de coisas incríveis. O homem pode voar e não tem asas. Pode nadar, sem guelras ou nadadeiras. O homem se adapta. Nossos esforços dirão o que seremos no futuro. Nunca devemos nos achar incapazes ou estultos ao ponto de entrarmos num mundo de desânimo e tristeza. Vá em frente. Ninguém é melhor que você. Ninguém é pior que você. Você pode!

2. Estamos vivos. Salomão afirma que é melhor ser um cão vivo do que um leão morto. E como existem leões mortos por aí. Pessoas com tanta capacidade, com tanta força, com tanto a oferecer, transformando-se em carcaças podres e mal-cheirosas que só servem para atrapalhar a vida dos outros. Se alguém se sente assim, é hora de ressuscitar. Reconheça que está vivo. Há sangue correndo em suas veias. Seu pulso ainda pulsa. Para os vivos, segundo Salomão, ainda há esperança.

3. A vida é bela. Pare de reclamar. Reclamamos quando trabalhamos e quando estamos sem trabalhar. Quando produzimos pouco, nos achamos inúteis. Quando produzimos muito, somos sufocados pelos afazeres. Salomão nos aconselha a comer alegremente o pão, beber gostosamente o vinho, gozar a vida com a mulher que ama...Ai, ai. Isso é que é viver bem. Viver feliz.

4. A vida é fugaz, vã, passageira. Um dia, os braços perderão a força. As pernas não correrão mais como antes. Os cabelos, quando não caírem, ficarão brancos. Os olhos se escurecerão. E a vida? A vida passará. E se não nos jogarmos nos braços dela, perderemos a maior oportunidade de todas. A OPORTUNIDADE DE SER FELIZ.

domingo, 22 de maio de 2011

E o mundo não acabou...


Após muitas pessoas comentarem a notícia divulgada pela mídia, vai umas dicas importantes em relação a boatos e factóides criados apenas para promoção pessoal ou de instituições. A Family Radio, que criou toda essa seleuma, capaz de assustar até os cristãos mais fiéis e fervorosos, usufruiu dos beneméritos da fama, graças a estupenda divulgação em redes sociais, televisão, rádio e outros veículos de comunicação em massa.
O interessante disso tudo é que, a internet tem um poder incrível. Pude constatar o medo de alguns irmãos em relação a esses "improváveis" acontecimentos de 21 de maio de 2011. Uma obra de ficção, produzida em mentes infantis, causou temor. Imaginem o quanto que notícias falsas podem arruinar pessoas, ministérios, países.
Uma mentira na internet é como lançar penas de montanhas. Não há controle. Não há como consertar. Notícias ruins correm rápido. Elogios e bons comentários são de pouca divulgação.
Logo, já que o mundo não acabou, vamos viver. Aproveitem os momentos com sua família. Continuem servindo a Deus. Independentemente do que digam ou falem de nós, vivamos!
Sejamos felizes enquanto ainda há tempo. Para muitos, a morte é o fim. Enquanto há vida, viva!

Termino minhas palavras por hoje com um texto do blog do Pr. Darckson Lira:

Breve diálogo com um descrente:

- Poxa Reverendo...Mas se for realmente verdade e o mundo se acabar?
- Sem problemas: Poderei passar muito bem sem ele!


Só pela graça,

João Victor

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O MUNDO VAI ACABAR!




Um grupo fundamentalista cristão espalhou 2.000 outdoors pelo mundo para fazer um anúncio importante: o fim do mundo está próximo. Muito mais do que você imagina. Segundo os membros da Family Radio, o Juízo Final será no dia 21 de maio.

Para eles, a prova de que o mundo vai acabar está na Bíblia. Segundo a Family Radio, o fim do mundo ocorrerá sete mil anos depois de 4990 a.C., ano do dilúvio universal em que somente Noé e sua arca se salvaram. O dia exato saiu de outro cálculo. De acordo com a interpretação do grupo, o Juízo Final ocorrerá no 17º dia do segundo mês do calendário bíblico moderno, ou seja, 21 de maio.

Segundo o porta-voz do grupo, Gunther von Harringa, o mundo irá acabar em um grande terremoto que durará 153 dias, na Nova Zelândia. O desastre natural, então, irá avançar em direção ao leste.

"O mundo existe há 13.023 anos, mas Deus esgotou sua paciência com o mundo. Esta é a realidade", disse ao jornal canadense "Globe and Mail".

Harringa contou que somente cerca de 170 milhões de pessoas irão se salvar e ir diretamente para o céu.

No entanto, a Family Radio já tentou adivinhar o fim do mundo uma vez, em 1994, e, obviamente errou. Para justificar, o grupo explicou que errou nas contas e que passou todo esse tempo revisando as passagens bíblicas para, enfim, chegar na data de 21 de maio.

A Family Radio, que foi fundada há mais de 50 anos por Harold Camping, é sediada em Oakland, na Califórnia, mas tem membros em vários países do mundo, inclusive no Brasil. No entanto, o grupo, que fica em Belo Horizonte (MG) desligou os telefones e se recusa a responder e-mails sobre o assunto.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sempre me amou - Contemplar vol.2



Agora o vídeo...

Sempre me amou

Procuro te agradar
Mas eu sou falho
Mesmo assim vou caminhando

E percebo o teu olhar
Atencioso
Sempre me observando

Te sinto aqui tão perto do meu coração
Não há outra saída, eu vou acreditar

Vou me jogar em teus braços
Vou me lançar em tuas mãos
Não vou mais me esconder
Eu vou ser o que sou
Eu te amo
E sei que sempre me amou!

Por João Victor

terça-feira, 17 de maio de 2011

NADA MUDOU...(SESSÃO MINHAS POESIAS)


Nada mudou...


Nada mudou...
Um relógio ainda a girar
O sol continua a brilhar
A lua no mesmo lugar
Sozinha, sem nada ao redor

Nada ao redor
Sem abraços, afetos, amor
Só paredes, janelas e dor
Que me prendem sem nada a prender

Nada a perder
Tantas coisas sem nada entender
Tantos planos sem nada a fazer
Numa busca por nada melhor

Não há nada melhor
Que uma vida além das montanhas
Que viver sem perder a esperança
De que um dia o que nunca mudou
Seja alvo de alguma mudança

Alguma mudança
Será que é ainda possível?
Se o sol continua onde está
Se o relógio insiste em girar
Se a lua não quer mais brilhar
Será?

Por João Victor

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Por que nos sobreveio isso?



Juízes 6.12-13

Somos constantemente atingidos por problemas dos mais diferentes modos. Problemas de ordem financeira, emocional, de saúde, espirituais, diversas causas para as mesmas aflições humanas. São dívidas que nos impedem de adorar ao Senhor. Sentimentos não correspondidos que geram conflitos e complexos de inferioridade. Enfermidades a produzir desespero e angústia. Opressões e pressões espirituais que não deixam a vítima descansar.
Diante de tudo isso, brota da mente uma pergunta: Por que isso acontece? Se Deus está conosco, onde Ele está? Onde eu o encontro? Como eu acho Deus? Para alguns, a resposta é fácil. Vou encontrar nas igrejas. Nos templos suntuosos, com púlpitos de mármore e chão de granito, Ele estará. Nos palcos dos shows da fé iremos encontrá-lo. Será mesmo?
Muitos buscam as igrejas pensando dessa forma. Eis a explicação do grande número de pessoas frustradas, desiludidas, desacreditas, sem fé. Vitória financeira não se conquista apenas com oração. Amores proibidos ou platônicos não desaparecem apenas com vigílias e consagrações. Enfermidades nem sempre são curadas por imposição de mãos. Entretanto, muitos pastores e líderes continuam manipulando o povo com falsas promessas de cura e libertação, afirmando, sem um pingo de responsabilidade, que em suas igrejas os fiéis receberão as maravilhosas bençãos vindas dos céus. E alguns ainda bradam aos quatro ventos que esses "milagres e prodígios" acontecem apenas em suas denominações.
A igreja não é solução para os problemas da vida. Pode ser difícil para você ler isso. Afinal de contas, aprendemos o contrário durante muito tempo. É importante saber que a igreja é o lugar do direcionamento. Não sou e nunca serei irresponsável de afirmar categoricamente que dentro da igreja sua vida vai mudar. Há alguns conselhos que posso compartilhar. Isso posso fazer.

1. O Senhor é contigo. Gideão, o personagem do texto acima, ouve essas palavras. Que bom saber que não se está sozinho. O que deve importar de verdade é a presença de Deus. Podemos passar pelas mais diversas dificuldades, mas jamais poderemos reclamar da sua ausência. O dinheiro falta, mas Ele não falta. A saúde não chega, mas Ele chega. O amor não vem, mas Ele vem. Ele está contigo. Pode não restar nada ao teu redor, Ele estará contigo. Pode ninguém te entender. Ele te compreende. Ele está contigo.

2. Você tem um valor. O Anjo chama Gideão de varão valoroso. Gideão tinha valor. Você precisa olhar para dentro de você e se enxergar assim. Quando não nos vemos assim, passamos a viver como dependentes, precisando de alguém para nos colocar de pé, nos ajudar a caminhar, alguém para pôr comida na boquinha. Crianças. Vivemos como crianças, totalmente dependentes. Deus não quer isso para você.

A visão de Gideão estava turva. Minha família é a mais pobre, disse ele. A pobreza não está no gene, Gideão. Você pode mudar esse quadro de miséria. Você pode fazer a diferença dentro da tua casa. Deus libertou o povo no passado, mas hoje nos desamparou, reclamou Gideão. Culpar a Deus pelos seus problemas ou afirmar que sua ausência provoca todas as tragédias é fugir da sua responsabilidade. Deus acaba de falar com Gideão e ele continua se achando desamparado. Ah, Gideão, pára com isso! A coragem de enfrentar o presente é que vai mudar teu futuro. Eu sou o menor da casa de meu pai, continua a se diminuir. Pensamento negativo. Não se veja como o menor da tua casa. Olhe pra você e veja um filho. Na casa do pai não há maiores ou menores. Todos são filhos. Filhos de rei. Príncipes e princesas. Conquiste seu lugar. Lute pelo trono.

3. Gideão teve que enfrentar inúmeros desafios. O desafio financeiro, a batalha sentimental, as limitações físicas, a incredulidade espiritual. Todavia, ele venceu. A igreja não resolverá todos os teus problemas. A tua vitória depende de você. A motivação está dentro de você. O Anjo fala para Gideão: VAI NESSA TUA FORÇA! Vamos, meus amigos. Há uma força que nos impulsiona a lutar. Agindo Deus, quem impedirá? Imagine, então, se você agir também. Ninguém vai segurar você!

Por que nos sobreveio isso? Não sei responder. O modo como vamos enfrentar o que aconteceu, depende de cada um de nós.

Só pela graça,

João Victor

terça-feira, 10 de maio de 2011

Música nova: "Sempre me amou"



Sempre me amou

Procuro te agradar
Mas eu sou falho
Mesmo assim vou caminhando

E percebo o teu olhar
Atencioso
Sempre me observando

Te sinto aqui tão perto do meu coração
Não vejo outra saída, eu vou acreditar

Vou me jogar em teus braços
Vou me lançar em tuas mãos
Não vou mais me esconder
Eu vou ser o que sou
Eu te amo
E sei que sempre me amou!

Por João Victor

Em breve, Contemplar volume 2

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Ceará Campeão Arrastão 2011




A CARROÇA DESEMBESTADA TÁ SEM "FREI"...TE PREPARA FLAMENGO!!!!!!!!

PARABÉNS AO VOZÃO!!!!!!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Os homófobos, os evangelicófobos e o PLC 122

Por. Pr. Ciro Zibordi

Muita gente tem usado o termo “homofóbico” para se referir à pessoa que odeia os homossexuais — opondo-se a eles de maneira irascível, raivosa, truculenta, violenta, etc. — ou se opõe à homossexualidade de maneira ofensiva, zombeteira, etc. Penso que o termo mais apropriado seria “homófobo”: “que ou aquele que demonstra ter homofobia” (Houaiss).

O termo “evangelicófobo” não consta dos dicionários. Eu o propus ontem, no Twitter e no Facebook, para mostrar a incoerência do PLC 122, projeto de lei que pretende criminalizar a opinião dos que apenas são contrários à prática homossexual, como, por exemplo, os evangélicos, que sempre pregaram contra a homossexualidade, visto que apresentar o Evangelho aos pecadores significa mostrar o amor e o juízo de Deus. E, na Bíblia, um dos pecados que o Senhor condena é a homossexualidade (Lv 18; Rm 1; 1 Co 6, etc.).

Diante do exposto, se o simples fato de eu discordar dos homossexuais torna-me homófobo (inimigo figadal dos homossexuais), o simples fato de eles discordarem de mim também os torna evangelicófobos (inimigos figadais dos evangélicos). E não é isso que temos visto atualmente? Os defensores do homossexualismo pedem a aprovação do PLC 122, mas eles mesmos portam-se de maneira irascível, truculenta, em relação aos evangélicos.

Ontem, o STF reconheceu a legitimidade da união de pessoas do mesmo sexo. É evidente que tal decisão não foi tomada com base na Bíblia, visto que esta prescreve que o casal deve ser formado por homem e mulher (Mt 19.4). E, segundo o meu amigo e pastor Euder Faber, presidente da VINACC (Visão Nacional para Consciência Cristã), a decisão não foi tomada com base “na Constituição, pois a mesma é explícita em afirmar o conceito de família, composto por um homem e uma mulher [...], o que os ministros do Supremo fizeram foi desconstruir o texto, extraindo deles toda a objetividade. Enfim, rasgaram a Constituição”.

Como cristãos, é evidente que devemos respeitar as pessoas homossexuais que vivem juntas. O que não podemos — sob pena de desobedecer à Palavra de Deus e ao Deus da Palavra — é concordar com esse tipo de união, a qual, biblicamente, constitui um pecado. E não é porque a justiça reconheceu tal união que vamos incentivá-la ou considerá-la não-pecaminosa, à luz da Bíblia.

Vendo um pouco mais além, e pensando na possibilidade da aprovação do PLC 122, seria um abuso obrigar os ministros evangélicos contrários à prática homossexual a fazerem casamentos de homossexuais. Isso é uma violação do direito constitucional. Se os homossexuais querem casar e constituir “família”, respeitamos o seu direito. Mas que procurem aqueles que estão de acordo com a sua ideologia.

Nenhum padre gostaria, por exemplo, que um casal evangélico o obrigasse a celebrar o seu casamento. Na igreja da maioria, sabemos, só podem casar as pessoas que seguem os seus dogmas. Por que os pastores seriam obrigados a casar pessoas que não estão de acordo com a doutrina evangélica, no caso dos que mantêm relações homossexuais?

Por que os evangélicos não aceitam o PLC 122? Porque ele é uma tentativa de nos obrigar a concordar “na marra” com o homossexualismo. E isso é um absurdo! Temos o direito constitucional da livre expressão da opinião, o que não caracteriza homofobia, a menos que usemos de ofensa, ameaça, violência, etc. A pregação contrária ao que a Bíblia chama de pecado não é discriminar pessoas, ser homófobo ou adotar postura homofóbica.

A Bíblia — isto é, Deus — condena a prática homossexual. Mas a Bíblia (Deus) também mostra que o homem tem livre-vontade para escolher entre o bem e o mal (Dt 30.19; Mt 7.13,14). E os cristãos devem respeitar as escolhas das pessoas. Entretanto, ninguém pode nos obrigar a concordar com as escolhas das pessoas. Ter opinião contrária faz parte do processo democrático. Ou não?

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

quinta-feira, 5 de maio de 2011

BANDA CONTEMPLAR 30/04/2011










GRANDE EVENTO DA ASSEMBLÉIA DE DEUS...FOI UMA BENÇÃO!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Há um Consolador!



[João 14.16]“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco”.

Consolo na praia
Carlos Drummond de Andrade

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humour?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.

Há algumas músicas que servem de estímulo para o suicídio. O compositor Ozzy Osbourne na sua canção "Suicide Solution" - "Solução no Suicídio" diz: "O suicídio é o único caminho para a liberdade." Na canção "Suicide's Alternative" - "Alternativa do Suicida" ouvimos: "Eu estou cansado da vida - ela é insuportável. Eu estou deprimido e cansado - ninguém tem nada a ver com isto. Eu estou repugnante comigo mesmo - eu não quero viver. A vida me encheu - já está na hora de morrer. Suicídio - eis a saída." "Sacrifique a vida e cometa o suicídio. Fazendo isto em nome de satanás, você ficará imortal como ele." - Estas são as palavras de uma canção do "Heavy Metal" dedicada a satanás. Kurt Cobain, o idolatrado vocalista do Nirvana, cometeu suicídio, estimulando vários fãs no mundo interio a fazer o mesmo. Grandes artistas, mesmo com toda a fama e sucesso, abandonam a vida dessa maneira trágica.
Por que as pessoas têm preferido cair nos braços da morte a lutar pela vida? O motivo principal de tantos suicídios e de tantas pessoas que abandonam seus sonhos, seus projetos, virando as costas até para as promessas de Deus em suas vidas é que chega um instante em que se deparam sem esperança e as lágrimas sobrepujam a vontade de viver.
Entretanto, Jesus nos fala hoje que não devemos jogar a toalha. Há um motivo especial para ainda acreditarmos. Há uma razão para sorrir. Existe algo que é capaz de preencher todo e qualquer vazio existencial. Ainda há uma esperança.

1. Jesus diz: eu rogarei ao Pai. É o pedido do filho ao Pai. Um pedido irrecusável. Quando não conseguimos mais orar, Ele ora por nós. Quando não há mais saída, Ele abre o mar. Quando a morte é inevitável, Ele é a cura. Jesus disse que rogaria ao Pai. Creia! Vem resposta por aí.

Famílias precisam de um consolo. Mães que perderam seus filhos para a criminalidade. Esposas que perderam seus maridos para a prostituição. Filhos que perderam o convívio com os pais. Há uma promessa de Deus para todos!

2. Ele vos dará outro Consolador. Não um consolador que te decepcione, mas um que te dê apoio. Não um consolador que apenas te estenda a mão, mas um que te carregue nos braços. Não um consolador que apenas te mostre o caminho, mas um que ande contigo. Se subires ao céu, lá ele estará. Se estiveres no mais profundo abismo, estará também. Se tomares as asas da alvorada e te detiveres nos confins dos mares, ainda lá a mão do consolador haverá de te guiar...Salmo 139. Se perdeste alguém que te consolava, Deus te dá outro Consolador. Não ficarás sozinho.

Além disso, é importante frisar que não será um Consolador temporário. Não é um paliativo. É a cura. Não é um analgésico para um paciente terminal. É o restabelecimento da saúde. Não é um alívio temporário. É a felicidade eterna.

3. Ele estará para sempre conosco. Não será algo provisório. É pra sempre. Quando acabar esta vida, a alegria continuará nos céus. Ver Elias e a viúva de Sarepta (1 Reis 17.14). Nunca mais faltou farinha na panela, nem azeite na botija, até que o Senhor fizesse chover sobre a terra. Vai chegar o tempo da chuva, mas enquanto ainda tu caminhas no deserto, a coluna de nuvem te protegerá do sol, e a coluna de fogo te aquecerá durante a noite.

Se o Consolador estará para sempre contigo, esse é mais um motivo para não desistir. Uma tribo de índios americanos tem um velho ditado que diz: “Quando você nasceu, você chorou e o mundo se alegrou. Viva sua vida de tal maneira que, quando você morrer, o mundo chore e você se regozije.” Desistindo de tudo, o mundo continuará seu fluxo, enquanto você ficará de espectador da vitória alheia. Seja forte! O Consolador estará para sempre com você.

4. O Consolador tem um nome. Ele se chama Espírito da verdade. Para que Deus faça morada no teu coração, a verdade deve prevalecer. Exponha a verdade. Reconheça a verdade. Enganar-se, mentir pra si mesmo não resolverá o quadro de solidão que inebria o teu coração. Fingir-se ser suficientemente capaz de solucionar sua carência espiritual sozinho é estar abdicando da chance de encontrar única e verdadeira saída.

Só existe um que pode te consolar. O mundo não pode receber isso e por essa razão se destrói. Você vê. Você conhece. Não precisa mais procurar. A solução está aqui! O Consolador quer mudar tua vida! Não resta muito tempo! É hora de agarrar a oportunidade! Não a deixe escapar. O Espírito Santo te ensinará todas as coisas e te fará lembrar, não das tragédias da vida, mas daquilo que pode te dar esperança. Que Deus, em Cristo, nos abençoe! Amém!

Só pela graça,

João Victor

sábado, 30 de abril de 2011

Sai da Caverna




Há momentos na vida em que parece que gostamos do calor das cavernas. O isolamento, a solidão, a esperada tranquilidade nos atrai. A caverna é um refúgio quando queremos nos esconder dos outros e principalmente de nós mesmos. Elias estava lá. Escondido, buscava se encontrar. Muitos anseiam por esse encontro. Encontrar-se no mundo. Onde estou? Quem sou eu? Quantos questionamentos sem respostas nos ecos da caverna.

Contudo, há uma vida lá fora. É triste ver pessoas tão cheias de talento, capacidade, dons e juventude enfurnadas nos recônditos escuros da alma. Púlpitos estão a sua espera. Instrumentos solitários os aguardam. As vozes que cantavam não cantam mais. As luzes permanecem acesas, mas o palco está vazio. Silêncio. Desesperador silêncio.

Elias ouve o som dos ventos. Ventos de calúnias, perseguição, contestações. Deus não estava no vento. Os terremotos chegam e provocam medo. Em especial, os tremores internos. Do lado de fora, Elias teria que ser um profeta nos moldes da conveniência. Sair pra quê? Dentro da caverna, ele poderia ser ele mesmo. Pra que sofrer os danos dos tsunamis? Pra que morrer afogado nas tempestades? E o fogo? Quão destruidor o fogo é. A caverna é segura. Ledo engano.
Os milhares de morcegos que povoam a caverna sugam as esperanças. O futuro fica cada vez mais obscuro. Os gritos não são mais ouvidos. A morte se aproxima. Vais continuar assim? Queres realmente isso?
Saia daí. Rápido. Um sussuro atingirá seu coração, como um beijo. Algo está te puxando pra fora. Você precisa de Sol. Você precisa continuar a brilhar. Sobreviva! Viva! O mundo pode ser cruel e traiçoeiro. Todavia, ele precisa de nós. Ele precisa de você.

Só pela graça,

João Victor

quinta-feira, 28 de abril de 2011

CONTEMPLANDO PELO MUNDO...




AGRADECEMOS A ENORME AUDIÊNCIA DOS SEGUINTES PAÍSES:

ESTADOS UNIDOS - Thanks
PORTUGAL - Obrigado
HOLANDA - dank u
COSTA RICA - gracias
AUSTRÁLIA - thanks
ÍNDIA - धन्यवाद
RÚSSIA - благодарность

E outros...

domingo, 24 de abril de 2011

Agradecimentos...


À família da Pra. Damares, em especial ao senhor Raimundo Rosa, pelo carinho com o qual fomos recepcionados em Pentecoste;
Ao cantor Helder, finalista do Programa da Eliana no quadro "Tenho um cantor gospel na minha casa", pelo talento e humildade;
Aos irmãos de Pentecoste, Eline, Fátima, Jonas e outros que, com muito carinho e admiração, me pediram autógrafos (fico estranho com isso), pois são ouvintes assíduos do programa de rádio e ficaram felizes de nos conhecer pessoalmente;

Ah, além disso...
Agradeço à Vanda e esposo, que estiveram conosco em nosso culto de Páscoa, direto da cidade de São Benedito. Obrigado Vanda por acompanhar nosso espaço!

Deus abençoe vcs!

PAZ!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Sessão Inesquecíveis...Jessé



O Inesquecível Jessé...Não acompanhei a sua carreira durante a vida. Todavia, o que é bom de verdade torna-se eterno. Aprendi essa canção com minha mãe, ainda criança. Ficou marcada para mim!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Banda Contemplar ao vivo

Esse é um trecho da canção Caminho, modéstia a parte, uma das mais belas canções que Deus me deu.
Desfrutem desse momento de unção...

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Meu Pé de Zimbro



Por João Victor
Sermão pregado na Igreja Batista Vale de Benção Henrique Jorge em 17 de abril de 2011
1 Reis 19

O Juniperus communis, mais conhecido (ou nem tanto assim) como zimbro é um arbusto da família das cupressáceas, com folhas perenes, curtas e espinhosas. Seus frutos são usados na produção de bebidas aromáticas, como o gim e a genebra. Entretanto, o mais importante não é o zimbro. O importante é que há momentos em nossa vida que nos sentamos junto a ele. Há momentos de refletir debaixo de um pé de zimbro. O que aprender? Botânica? Acho que não. É hora de aprender sobre a vida.
Elias, o grande profeta, o homem que faz cair chuva e fogo dos céus, fugia de Jezabel. Estava ameaçado de morte. Sua fuga encontra um lugar de repouso. Um pé de zimbro. Sim, o arbusto espinhoso que mal chega a 3 metros de altura seria um bom ambiente para um profeta refletir. Por que Elias estava ali?
Perseguição, pressões, desânimo, solidão. Várias causas. Os grandes homens de Deus ainda são homens. Perseguição dentro de casa, a pressão das responsabilidades, o desânimo das expectativas frustradas e principalmente, a solidão. Elias passou por isso. Também passamos...
Como fora supracitado, o zimbro é espinhoso. Ah! E quão espinhoso é o caminho. Contudo, Elias consegue extrair dos espinhos do zimbro lições inesquecíveis. Lá Elias abre o coração. É um desabafo. Muitas vezes nossa garganta fecha e as palavras não saem. Queremos gritar, mas não podemos. Elias teve essa oportunidade. Desvencilhou-se dos nós. Era o momento do "basta". Era o seu limite. Não dava mais pra suportar. Elias explodiu. "Não sou melhor que meus pais". O profeta estava se esvaziando. Pessoas cheias de orgulho, arrogância, cheias de si, jamais poderão ser cheias de Deus. A angústia também precisava sair. Elias se esvaziou. A fonte secou debaixo do zimbro. O profeta secou. Isso pode acontecer. Não se espantem!
Elias queria parar. Estava cansado de tudo. Ele queria a morte, mas Deus não. O zimbro também é lugar de ouvir um "não". NÃO É HORA DE DESISTIR! Há um longo caminho a trilhar. Zimbro serve para descansar, mas não serve pra dormir. É tempo de acordar. Levanta-te, Elias. Levanta e come. A caverna te espera. Deus falará contigo!

sábado, 16 de abril de 2011

Senna, um herói.


Acabei de ver o documentário sobre a carreira de Ayrton Senna. Chorei ao lembrar da minha infância. As madrugadas, deitado no colo de meu pai, vendo os GPs do Japão, ficaram marcadas na minha memória. As manhãs de domingo, vibrantes, emocionantes. As duras disputas de Senna e Prost, pegas memoráveis, ultrapassagens fantásticas. Voltei no tempo. Que saudade.
Saudade do tempo em que as corridas de Fórmula 1 não eram decididas no computador, mas no braço e no talento dos pilotos. Saudades do Tema da Vitória, das voltas espetaculares, até do quase intragável Galvão Bueno, gritando "Ayrton, Ayrton, Ayrton Senna do Brasil". Fiquei muito emocionado ao rever seus momentos com a família, seu carinho pelo povo brasileiro, sua ligação com Deus e sua vontade de vencer.
Dia 1º de maio de 1994. A curva Tamborello, do circuito de Ímola, arrancou um pedaço grande do esporte. As partes brancas da bandeira quadriculada da vitória se escureceram...O mundo do Automobilismo estava de luto. Morreu um herói! Nasceu um mito!
Exemplo de garra, determinação, coragem. Deixo vocês com uma frase dele, o maior piloto de fórmula 1 de todos os tempos.

"No que diz respeito ao desempenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem-feita ou não faz." (Ayrton Senna)